domingo, 8 de abril de 2018

No meu copo 667 - Valdazar 2011

Adquirido em Setembro de 2015, este tinto com a assinatura de Carlos Campolargo foge, como é habitual, ao perfil clássico da Bairrada, apresentando um lote de castas pouco usual, onde a Baga não é base mas complemento.

O próprio rótulo é invulgar, com cores e padrões que chamam a atenção através dum certo choque visual. Tudo dentro da postura habitual de Carlos Campolargo que faz questão de andar contra a corrente (nome de um dos seus vinhos, de que aqui falaremos um dia destes).

As castas fermentaram em conjunto, passando depois para barricas usadas de carvalho francês onde se deu a fermentação maloláctica e estagiou 12 meses.

Mostrou cor rubi, aroma algo discreto com notas de fruta preta e silvestre com algum vegetal. Na boca é elegante e macio, não muito estruturado, com final suave e mediano.

Um vinho “fora da caixa” que é interessante provar, mas não se espere que encante.

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Valdazar 2011 (T)
Região: Bairrada
Produtor: Manuel dos Santos Campolargo, Herdeiros
Grau alcoólico: 12,5%
Castas: Castelão, Touriga Nacional, Baga, Tinta Barroca
Preço com a Revista de Vinhos: 6,00 €
Nota (0 a 10): 7,5

Sem comentários: