sábado, 10 de março de 2018

No meu copo 661 - Reguengos DOC tinto 2016

Descemos ainda mais, quase até à base da pirâmide. Numa passagem por um restaurante, este era o vinho da casa a 7 €. Como as alternativas não eram particularmente atractivas, experimentou-se.

Estamos a falar dum vinho abaixo dos 3 €, preço de mercado. Não se pode esperar qualquer semelhança com os que estão nos patamares acima.

Produzido com o mesmo lote clássico Garrafeira dos Sócios, os primeiros goles, enquanto se espera por um bife, não convencem. Estamos perante um vinho vulgar, em que nada o distingue de outros da mesma gama.

Já com o prato na mesa, o vinho parece diferente. Há alguma estrutura e uma certa persistência, com algumas notas a frutadas e a especiarias, com algum tanino lá ao fundo a querer mostrar-se.

Bebeu-se, sem encantar e sem esperar muito mais.

Apenas para confirmar que há um patamar abaixo do qual é quase indiferente aquilo que se escolhe. Do Douro ao Alentejo...

Depois de ter saboreado um Garrafeira dos Sócios, beber um Reguengos DOC é como passar dum Ferrari para um Fiat Panda...

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Reguengos 2016 (T)
Região: Alentejo (Reguengos)
Produtor: CARMIM - Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz
Grau alcoólico: 13%
Castas: Trincadeira (40%), Aragonês (40%), Castelão (20%)
Nota (0 a 10): 6,5

Sem comentários: