terça-feira, 4 de abril de 2017

No meu copo 594 - Mouchão 2005

Subimos mais um bocadinho e paramos em Sousel, na Herdade do Mouchão, um dos clássicos e mais prestigiados tintos portugueses.

Não tenho tido muitas oportunidades de provar este vinho, mas aquelas que tive não me encantaram. Ainda no final do ano passado, no evento “Alentejo em Lisboa”, provei a colheita de 2011.

Mais recentemente abri esta garrafa que estava guardada, e provei-a com o tuguinho. Não é que o vinho não seja bom. Ou mesmo muito bom. É, sim senhor. É bem estruturado, longo, suave, os taninos são redondos e elegantes. Mas parece que lhe falta talvez... personalidade.

Comparando-o com outros no mesmo patamar de preço, ou mesmo mais abaixo (estou a lembrar-me por exemplo do Esporão Reserva e do Tapada de Coelheiros, que custam pouco mais de metade, do Duas Quintas Reserva, que é mais barato, ou do Quinta da Leda, que tem um preço semelhante), parece-me sempre que lhe falta mais qualquer coisa, aquele plus que o torne o grande vinho que passa por ser.

Não sei, o defeito pode ser meu, se calhar ainda não consegui compreender este vinho. Põe-se à temperatura adequada, decanta-se, areja-se, espera-se, aspira-se, prova-se, espera-se outra vez à espera de algo mais... que não aparece. Não encontro ali nada que me impressione particularmente, que me deixe uma memória marcante, que me diga claramente o que é este vinho.

Tenho sempre a sensação de que é demasiado caro para aquilo que vale. Mas pronto, limito-me a remeter-me à minha insignificância, e deixar a melhor apreciação deste vinho para aqueles que sabem mais do que eu e conseguem dar-lhe o devido valor. Se calhar, se custasse metade não esperaria tanto dele...

Kroniketas, enófilo esclarecido

Vinho: Mouchão 2005 (T)
Região: Alentejo (Sousel)
Produtor: Vinhos da Cavaca Dourada - Herdade do Mouchão
Grau alcoólico: 14%
Castas: Alicante Bouschet, Trincadeira
Preço em hipermercado: 30,99 €
Nota (0 a 10): 8

Sem comentários: